quinta-feira, 7 de abril de 2016

AUSÊNCIAS


No murmúrio deste momento,
Que não é nada...
Nada sinto nada digo
Perdida na tua ausência,
Na surdina insondável do meu ser,
Que te procura e não te encontra.
Quão grande a saudade de te ver,
Um pouco mesmo à distancia!

Fugiste ao nosso encontro
E estoicamente na ilusão
Te espero chorando
Nesta nulidade infinita
Que te anseia e te deseja,
Persistindo num sonho em vão,
Eu vou tentando!

Em tua busca...
e por silenciosas veredas,
de te procurar não desisto.
Não suporto mais a tua ausência.
Deixei de respirar,
Já não sou!
Já não existo.
Tudo o que era se apagou
E em borboleta se transformou!

Paz e Bem Amigos.

1 comentário:

✿ chica disse...

Que lindo,Jocélia e as metamorfoses acontecem...Linda poesia! Obrigadão pelo carinho lá! bjs,m ótimo fds! chica

Enviar um comentário

Muito obrigado a todos os amigos...que aqui vão deixando as suas belas palavras, com tanto amor e carinho!