quarta-feira, 8 de abril de 2015

QUANDO A NOITE CAI


Quando a noite vem caindo,
Tranquila, e sossegadamente
Da minha janela, vou seguindo,
A curva melancólica do Poente.

Prefiro estar sem luz, só na penumbra,
Assim eu penso mais, penso melhor.
A luz me fere os olhos, e me deslumbra,
Só quero ver em mim o meu amor!

Fazendo meu exame de consciência,
Preciso de silêncio, paz, e recolhimento.
Só assim durante a tua ausência,
Liberto um pouco, o meu pensamento!

Viver sem ti, leva-me a pensar, 
Que a saudade, com rigor me acorrenta,
Vou sonhando, que estou no alto mar,
Onde navega, a minha dor, minha tormenta!

Paz e Bem Irmãos em Cristo.
Grata a todos!

Josélia

3 comentários:

Élys disse...

Uma poesia muito bonita mas, triste pela grande saudade que revela.
Beijos.

Élys disse...

Uma bonita poesia mas, triste pela grande saudade que revela.
Beijos.

Toninho disse...

A noite padece de carregar o lado mais triste, quando em nós falha a alegria. A noite leva consigo lágrimas, suores e saudades.
Há quem se encanta com a noite e os que nela sofrem seus tantos.
Belo trabalho amiga.
Abraços e beijo de paz.

Enviar um comentário

Muito obrigado a todos os amigos...que aqui vão deixando as suas belas palavras, com tanto amor e carinho!