17/01/15

EU E A MINHA TRISTEZA


Doi-me a alma de tanta tristeza,
Que em meu coração poisou...
Tento ver na vida a sua beleza...
Que no tempo para mim parou!

Sinto que vou sucumbir à dor,

Com a saudade... da tua ternura...
Oh' se voltasses meu amor,
Esqueceria a minha desventura!

Vivo inerte... não encontro um motivo,

Nem nada que me alegre o coração...
Não sei se morro... ou se vivo...
Se estou certa... ou sem razão!

Deixa-me ver no sol a Tua Luz,

Se me estiveres a ouvir Senhor...
Ajuda-me a dar à vida o seu valor,
Eleva meu ardente olhar para Jesus!

Estou triste... perdoa-me Senhor!


Josélia Micael

2 comentários:

Gracita disse...

Amada amiga Josélia
Sabe o que eu gostaria de fazer neste momento? Chegar onde você está e te dar um caloroso abraço para tentar minorar a sua dor e afastar por um momento a tristeza que machuca o seu coração. Não dá eu sei. Mas receba meu carinho virtual pleno de amor e afeto.
Triste os versos do seu poema mas exuberante na qualidade poética
Beijos com minha sincera amizade

Toninho disse...

Às vezes nos falta este algo a mais, este abraço, este carinho, que nos devolva o eixo.
Há solidão sim, que em poesia fica lindo, mas como dói.
Abraços amiga.