terça-feira, 17 de junho de 2014

QUE ESTRANHO DESTINO

Que estranho destino,
Do sol do astro divino
Perderem-se na tempestade
Meu corpo fica no mar
Entristecida pela saudade,
A sonhar!

Entre nuvens sem falar 
O que é que existe em mim? 
Silêncio e solidão
Num azul do céu sem fim
A sombra,
Do que foi meu coração.


Porque é que a minha alegria

Aos poucos vai-se acabando
Será o destino dos meus dias?
Não sei!
Meu coração está chorando.


Estou triste!

Meu Deus!

Josélia Micael

1 comentário:

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, querida amiga Josélia!
A tristeza é inerente ao ser humano e, tendo motivos fortes, ainda mais!
Deus seja o consolo da poeta!
Bjm muito fraterno

Enviar um comentário

Muito obrigado a todos os amigos...que aqui vão deixando as suas belas palavras, com tanto amor e carinho!