terça-feira, 16 de agosto de 2016

PALAVRAS O VENTO AS LEVOU

Recordações espalhadas ao vento,
Nas brumas do mar evaporadas
Quando voaram fiquei emocionada,
Foram mentiras vividas sem tento!

Parecendo pétalas esvoaçantes,
Subindo no astro, no meio do nada
Borbulhas, como champanhe espumante,
Palavras que em tempos fui apaixonada!

Naquele dia só ficaram as trevas,
As palavras e juras, o vento levou
O astro cinzento coberto de névoa,
O coração inquieto não o travou!

Os lábios não querem mais beijar,
Deixaram de lado a sua maciez...
Perderam a luz e o brilho, da sua tez!
Alma solitária não quer mais amar!

Paz e Amor.


domingo, 17 de julho de 2016

NA NOITE ME RETIRO

Antes que o sol se recolha
Espreito a caixinha do futuro,
Deixo cair mais uma seca folha
No passado por vezes tão duro!

Pela noite dentro me retiro,
Visto o manto de neblina,
Aqueço com o ar que respiro
Tomo as doses do silêncio,
Meu companheiro de espertina!

Com alma fosca de significados,
Mil palavras repartidas no sentido
Embebedo-me com doses do passado,
No meio da noite lhe peço sígilo!

Embrulho-me nas magias,
Empacoto as fantazias relembradas
Então rebrilho-me não sinto dor,
Domo a fera dos desencantos...
E deambulo contigo meu amor!


Chegando um novo dia,
E aveludo a boca,
De poesia!

Paz e Amor para todos.
Grata, pelas vizitas.

sábado, 9 de julho de 2016

O FADO ENCATADO


Eu gosto muito de fado,
Mexe com meus sentimentos,
Com meus ais e meus lamentos
Sou triste por natureza...
Nada para mim tem beleza
Não controlo a minha dor
Sinto saudades dos meus amores,
Que partiram antes do tempo
Para mim tudo acabou...
Naqueles tristes momentos!

Paz e Bem.

Um forte abraço a todos.
Obrigado.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

POEMA DA VIDA


A vida é uma poesia inacabada,
Das frases escritas em cada dia,
Desde o sonho à realidade,
Da esperança que acabou em magia,
Deixa a poesia não rimada!

A descoberta de que nada pode,
A poesia escreve-se e ajuda a superar
Sonhos perdidos, neblinas e quimeras,
Se se escrevem e não dão para rimar...
Houve pouco brilho nas suas Primaveras!


Neste poema que é a vida 
Há uma procura incessante,
Do real ao virtual,
Passa despercebido do sonho à realidade,
Do ser no ser, no passado do futuro e no presente,
Ou do momento actual!

O sentido da vida em poesia
É escrevê-la com fé e esperança,
Que haverá muitos sorrisos para dar 
Que o que foi bom voltará à lembrança,
E a poesia da vida irá rimar!

Paz e Bem.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

CHEGOU O VERÃO


Chegou o verão
Traz com ele a liberdade
Ajuda a esquecer a solidão
Esquece também a saudade!

Vai-se a ansiedade
A dor sobe num balão
Leva consigo a dificuldade,
E alegra o coração!

O banho de mar esbanja amor
As ondas rolam num abraço,
Desatam o laço da dor
Querem para elas espaço!

As manhãs quentes do verão
Não deixam vir a tristeza
Meio-dia a cor do céu azulão,
O por do sol doirado que beleza!

O pássaro  voa cantando
Suas melodias de ocasião
Passa feliz lá vai voando
É lindo quando chega o verão!


Paz e Bem*

terça-feira, 7 de junho de 2016

AS ROSAS PERDIDAS

As minhas rosas perdidas,
Rosas de todas as cores
De bons perfumes embebidas,
Outras nem tanto...
Algumas me lembram amores,
Outras me lembram o pranto !

Se as saudades perdidas
No peito a dor aflora,
Canto versos em mim vividos,
No perfume das minhas rosas
Sussurrando-lhe aos ouvidos
Ó saudades vão embora!

O perfume daquelas rosas
De amor enriquecidas...
Emanam essências dos amores
Jamais esquecidas
Como as suas lindas cores!

Há alguns tão suaves 
Que me elevam a um doce levitar,
Outros há tão vorazez...
Que sinto, o peso do tempo no ar!

PAZ E BEM

domingo, 29 de maio de 2016

DA MINHA JANELA VEJO O MAR

Da minha janela vejo o mar,
Sua mansidão me acalma
Ouço as ondas a cantar,
O mar eu tenho na alma!

Meus olhos para ele olham,
Com vontade de o abraçar
As suas ondas me chamam
Para eu as escutar!...

Ao respirar a maresia
Eu sinto em mim um ardor
Aquele cheiro me inebria
Como uma chama de amor!

Enquanto estou à janela
Para ele, eu fico olhando
Suas ondas são tão belas
Que nelas vou mergulhando!

PAZ E BEM.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

QUISERA EU SER COMO A LUA

Oh, bela lua, de prateado luar
Tu dormes na noite escura,
E as estrelas vão te embalar,
Surges tão bela e tão pura
Clara chama de doçura,
Ardendo no meu sonhar!

 É lindo o teu despertar
Corres no espaço profundo,
Nas asas da noite vens surgindo
Tua luz irradia o meu olhar,
Ó doce e amada lua vens sorrindo 
Cobres de brilho e amor o teu luar!

Quisera eu ser como a lua
Sempre serena e calma...
Tua sombra confia no vento
Na noite escondes a tua alma,
Sem limites de frio ou calor
Observo-te sem um lamento...
Sem reclamares teu amor!

Oh, como é lindo o luar,
Que brilha na noite escura
Mágico, meigo seu brilho findo,
E seu branco de candura,
Fixo nessa luz o meu olhar
E sonho contigo sorrindo!

Paz e Bem.